domingo, 9 de setembro de 2007

Independência

Ótimo feriado.

Faltou uma só coisa: tempo para fazer NADA.

Muito proveitoso. Três ótimos dias de festa, música, luzes e amigos. Claro, com grandes parentes de Dionísio presentes.

Ontem, após várias reflexões com uma (quase) historiadora no Bar do Alemão (essas coisas bacanas só vêm à tona em bares), voltei pra casa cheio de idéias e pensamentos.

Não há o que escrever hoje. Escrevi por escrever. Então, vai um poema.

A terra negra bebe,
e as árvores bebem dela.
Bebe o mar calmo,
o sol, o mar
e a lua, o sol;
Por que brigar comigo, amigos,
se também eu estou querendo beber?
(Anacreontea, 21)


Lírica grega é muito interessante, em qualquer momento.
Abraços.

4 comentários:

Anônimo disse...

O Êxtase Grego

Státua

Stou

Stéril

De marfim
Uma pena
Um vaso
E ninguém há de mexer

Stou fervendo
Na strada de areia
No deserto

Stou nu plantado
No plano, reto e seco – que sede!
Com todos os olhos
Enxergo o Olimpo vivendo – que sede!

Eu também
Mas não hei de desfrutar
Quero Zeus!
Versos não descreveriam
Nem do alto da torre

A státua não se move
Sufocando-me, continuo a engolir a mesma areia
E Zeus?
Nem sangrar!
É uma taça de vinho derramada sobre o corpo

[escrito por alguém]

Anônimo disse...

Acho que abandonou o blog...

Foi derramar vinho em terras alheias, mantendo a seca daqui.

AllDream Hilton disse...

ALGUÉM TEM QUE ESCREVER MAIS NESTE BLOG!!!!!

HAHAHAHAHAHAHA

Quisses!

LM disse...

Uau, nem sabia que vc tinha um blog!

Agora tenho mais coisas pra fazer qd estiver sem trabalho.

=D

Dps faça um post sobre os Filhos da Luz!

haeohaoeahoeahoea